Porto e a geminação com Nagasaki

Tokyo - 東京


A capital japonesa é fascínio e novidade. História e futuro. Dia e noite. Néons e névoa. Luxo e sofisticação. Globalização e segredo. É um mundo à parte. Onde só se entra sem preconceitos.

Localização de Tóquio

Megalópole. A palavra nasceu para caracterizar lugares como este. Cidade e metrópole são palavras que não chegam para adjectivar a grandiosidade do maior aglomerado populacional da Ásia. Se Nova Iorque é apelidada de capital do mundo,Tóquio é a capital de um outro mundo. Não conseguimos atravessar uma rua sozinhos. Nunca. Por mais que tentássemos, por mais horários alternativos que procurássemos. Atravessar uma passadeira aqui é um exercício para os sentidos. Centenas, milhares de pessoas, juntam-se dos vários lados da estrada à espera que o sinal passe a verde. Tudo se vende, tudo se compra, novo e usado, antigo e futurista. Material de electrónica, ténis, sexo, roupa, carros, viagens, música, livros, sonhos. Cuidado! Quem paga é o cartão de crédito. Os que passam vão ao banco, ao restaurante, à loja de discos, comprar banda desenhada ou apanhar o metro


A qualquer hora do dia ou da noite, a cidade não dorme. Pelas ruas iluminadas de Shinjuku descobrimos Kabuki-Cho e Omoide Yokocho. Na primeira rua, a animação das casas de strip, de massagens e de jogo. Na segunda zona, um cenário digno do filme ‘Blade Runner’. Deixamos os vícios para trás e entregamo-nos à cerveja e ao ‘sake’ nas estreitas ruas onde os fios de electricidade impedem que se veja o céu. O fumo que sai dos minúsculos restaurantes e bares confunde-se com a névoa. Há música que se mistura com o ruído das conversas que não se entendem.


Em terra de sushi, o peixe fresco, em muitos casos vivo, é rei e nada melhor que aquela que é considerada a maior lota do Mundo. Cerca de 65 mil pessoas trabalham diariamente no mercado de Tsukiji e é nos seus restaurantes que as filas começam às oito da manhã. Os corredores do mercado não são fáceis de percorrer, há que fugir aos carros, bicicletas e motos que passam, aos trabalhadores que correm de um lado para o outro com caixas de esferovite cheias de peixe ou marisco.

Panorama de Edo (actual Tóquio) entre 1865 e 1866


‘Lost in Translation’, o filme de Sofia Coppola com Bill Murray e Scarlett Johanson, filmado em 27 dias em Tóquio, parece estar sempre na mente. No hotel Park Hyatt, o tal do filme incrivelmente traduzido para português como ‘O Amor é um Lugar Estranho’, as luzes dos edifícios confundem-se com as estrelas que o brilho da cidade não deixa ver. Há ‘néons’ por toda a parte que anunciam tudo o que possa existir para anunciar: ‘sex-shops’, ‘cyber’ cafés, restaurantes, lojas de fotografia ou de ‘manga’, a impressionante arte da banda desenhada japonesa. O bairro de Akihabara é conhecido como ‘Manga Town’, o lugar de culto de quem não passa sem os desenhos de lutas futuristas, heróis de cabelos em pé e heroínas despidas de preconceitos e de tudo o mais. É também aí que as meninas vestidas de criadas trabalham em cafés e restaurantes, com seus vestidos curtos e rendilhados, para delírio de uma sociedade altamente fetichista. A loucura das indumentárias não é, no entanto, maior que em Harajuku. A estação de comboio tem o mesmo nome e nos fins-de-semana com sol é um desafio à sanidade. Lado a lado com o santuário xintoísta Meiji, em pleno parque Yoyogi. As tribos da sociedade japonesa reúnem-se para se mostrar. Nada é combinado, apenas acontece. As damas antigas, os candidatos a cantores, as ‘lolitas’ góticas, os cavaleiros satânicos, tudo o que se possa imaginar de mais exótico. Imaginemos que Floribella encontra Marilyn Manson e trocam de roupa. Nem isso chega para classificar. Um qualquer rancho folclórico português faria sucesso.


Dança em Zojoji Temple


Shinjuku, Tokyo Sky Tree, Rainbow Bridge, Shibuya, Edifício da Dieta Nacional.

Noutro lado da cidade, Rolls-Royce e Bentley. Um atrás do outro, estão estacionados à porta da Armani. Poderia ser da Chanel, Gucci, Prada, Louis Vouitton ou qualquer outra que seja sinónimo de exclusividade e preços astronómicos. Nos bairros de Roppongi ou Ginza, essa selecção é uma imagem de marca. A principal rua, a Harumi Dori, é um viveiro. Todas as grandes casas estão ali representadas.


Pintura do século XVII, ilustrando o Castelo de Edo (actual Palácio Imperial do Japão) e seus arredores.

No hotel Kuyakusho Mae, exclusivamente para homens, a noite fica barata, menos de 30 euros. Nos casulos que nos estão destinados, televisão, edredon, travesseiro, rádio, espelho e prateleira cabem numa gaveta em fibra de vidro com dois metros de profundidade, um de altura e outro de largura. Para se ter uma ideia, é algo entre uma tenda de campismo e um gavetão do Instituto de Medicina Legal. Serve na perfeição para quem perdeu o último comboio para casa devido ao excesso. De trabalho ou de álcool. As noites de fim-de-semana são complicadas para os japoneses. 



As de semana também. É nessas alturas que descarregam a pressão do dia-a-dia e saem com os colegas e amigos para esquecer os afazeres profissionais. E aí, tudo pode acontecer. Até mesmo acabarem a noite na num dos grandes segredos da capital japonesa: Golden Gai. 



Em pouco mais de um quarteirão, centenas de pequenos bares de porta fechada revelam uma realidade desconhecida. ‘Barca’ é o nome escrito numa das portas. Lá de dentro vem música. Dois homens sentados ao balcão com um copo de vinho cada um. Azeitonas e presunto sobre a mesa.



 Amália na aparelhagem. Fotografias de eléctricos de Lisboa na casa-de-banho. É uma casa portuguesa, com certeza. A paixão de Naomi, a empregada, por Portugal não se explica. Sente que nasceu portuguesa e nunca pôs pé no país. Estamos a muitos quilómetros de casa, bate uma nostalgia, mas Tóquio arrebata-nos. Ficamos mais um pouco.


Ginza em 1933 em Tóquio.

A capital japonesa nunca deixa de exercer um estranho e poderoso fascínio sobre quem vive os seus mundos, por vezes tão opostos, entre o clímax da modernidade e tecnologia e a preservação de tradições milenares. Com o país a procurar solucionar Fukushima e a tentar recuperar o turismo (prevendo até oferecer voos), passeamos por mil e uma Tóquios. Da juventude de Shibuya, fábrica de tendências, ao esplendor néon e tecnológico de Shinjuku. De cenários e luxos “Lost in Translation” ao maior mercado de peixe do mundo.


Shibuya, o bairro mais jovem de Tóquio, centro de moda e cultura, zona de compras e fábrica de tendências.


Shinjuku é outro dos 23 bairros especiais de Tóquio. Distrito financeiro e comercial, possui a estação de metro mais movimentada do mundo. É o sítio para observar os maiores néons da cidade, uma zona de arranha-céus onde é impossível caminhar sozinho..

Tokyo Japan 東京日本

Bairro de Shinjuku, Tóquio.

O bairro de Shinjuku à noite na zona de Kabukicho. O frenesim de néons atinge o seu esplendor. Uma zona de passagem intensa de pessoas e tráfego, um cenário nocturno digno do filme "Blade Runner".

A zona oeste da estação de Shinjuku é uma das melhores de Tóquio para comprar material electrónico e fotográfico.

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

O bairro de Rapongi. a par de Ginza, a zona mais exclusiva da cidade.

Tokyo - Piss Alley - Memory Lane - Shinjuku -... | Traveling Lens Photography

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo, Japan

Tokyo, Japan

View of Shinjuku skyscrapers and Mount Fuji as seen from the Bunkyo Civic Center in Tokyo

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo, Japan: I remember never fixing my jet lag, which was fine because it was so humid during the day, and the night life was bumpin

Tokyo Skytree of cherry blossoms, Japan

Tokyo, Japan

Tokyo Tower and around Buildings View of Roppongi Hills Mori Tower Roof.

Hotel New Otani Tokyo

Hotel New Otani Tokyo

Hotel New Otani Tokyo

Tokyo, Japan’s most populous metropolis, has been a subject of literature for centuries, and continues to inspire writers today. Check out 10 Books Set in Tokyo: Reading the Motley City

Tokyo Skytree East Tower

Tokyo Streets at Night by Masashi Wakui

Ghibli Museum

Tokyo Nights – Les superbes photographies nocturnes de Masashi Wakui

Adjacent to Hachikō Plaza is arguably one of the coolest intersections you will ever see in your life. The sheer energy of the place is enough to stop you dead in your tracks while you loudly proclaim to yourself, ‘Wow – I’m in Tokyo!’

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo night view

Tokyo Tower,Japan

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo view from Odaiba

Otemachi, Shinbashi, Tokyo Tower, Rainbow Bridge.

Tokyo Dome and Tokyo Dome Hotel (right) from the air at night

Tokyo Japan 東京日本

20 Must See Alluring Places on Earth - Azalea bushes at Shiofune Kannon Temple, Tokyo, Japan

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tsukiji Fish Market

Ghibli Museum

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Tower

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

The National Art Center, Tokyo

Ueno, Tokyo 上野 東京

Natsukashi: I used to be in Shinjuku at least three times a week. Tokyo, Japan

"Tokyo, Japan (Walter Bibikow)"

Shinjyuku, Tokyo, Japan

Ginza, Tokyo, Japan | Trey Ratcliff

“A sinfonia de luzes criada para o rio e as árvores”.

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Sanja Matsur

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Samba Carnival Asakusa

Samba Carnival Asakusa

Tokyo Japan Asakusa Samba Carnival

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Edo-Tokyo Museum

Shinjuku Sunset,Japan

The Fuji Television building in Odaiba, Tokyo

The Fuji Television building in Odaiba, Tokyo

Takeshita Street ( 竹下通り ), Harajuku ( 原宿 ), Shibuya ( 渋谷 ), Tokyo ( 東京 ), Japan ( 日本 )

bustling tokyo

Odaiba at Night, Tokyo, Japan

Os arranha-céus do bairro de Shinjuku.

Vista de Tóquio a partir de uma torre governamental no centro da cidade.
Tokyo Japan 東京日本

Apartment complex in Tokyo

Dois executivos na zona de Roppongi, um dos bairros mais exclusivos da cidade, numa pausa para um cigarro. É proibido fumar nas ruas em Tóquio, no exterior apenas em zonas devidamente sinalizadas e com cinzeiros. E de preferência com um ecrã gigante em frente a passar publicidade.

Estação de comboios em Akhiabara.

Zona de bares e prostituição no bairro de Shinjuku.

Rua do bairro de Akihabara mais conhecido por Manga Town, paraíso da animação "manga".

Estação de metro em Shinjuku, a estação mais movimentada do mundo.

Teacup terrace, Tokyo Japan from my Faces, Places and Spaces Board.

Back alley of Tokyo, Japan

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Twilight Tokyo Tower

Tokyo - Kappabashi Street

Tokyo, Japan in the rain

Godzilla statue in Roppongi Midtown, Tokyo, Japan.

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo, Japan by Ola Jacobsen

Exploring Kappabashi, Tokyo's Kitchen Town

Tokyo 4am - walking to metro station

Em Roppongi.

Restaurante de sushi, onde o cliente não paga o chá, uma oferta da casa.

O bar do hotel Park Yatt em Tóquio, onde Bill Murray encontrava Scarlett Johansson no filme “Lost in Translation” de Sofia Coppola.

Exterior do mercado de Tsukiji, considerado o maior mercado de peixe do mundo e onde trabalham diariamente cerca de 65 mil pessoas. Aqui, tudo começa por volta das 5h da manhã com o leilão de atum.

O mercado de peixe de Tsukiji, o maior do mundo. Facas de corte de peixe, sendo a maior para corte específico do atum.

Uma das zonas de licitação do mercado de Tsukiji.

A zona de licitação do atum no mercado de Tsukiji – que começa às 5 da manhã e que está condicionada aos turistas.

Livraria de "manga" em Tóquio. Os japoneses são ávidos consumidores de “comics”, havendo livrarias de vários pisos dedicados a esta arte.

Viver o Outono em Tóquio, no exterior do Museu da Guerra.

Aos domingos, os parques de Tóquio são invadidos por fotógrafos amadores devidamente apetrechados ou não fosse este o país da tecnologia. São completamente obcecados por fotografia de Natureza

Ao fim-de-semana, os habitantes de Tóquio procuram o regresso à Natureza nos parques da cidade.

Outono em Tóquio

Tokyo Japan 東京日本

Pela cidade, aproveitam-se as ciclovias.

Momento zen à porta de entrada de um templo.

Há recantos assim em Tóquio, onde é possível estar desligado da azáfama diária desta grande metrópole.

Zona pedonal circundante ao Palácio Imperial e residência dos imperadores japoneses.

Estudantes japoneses junto ao Palácio Imperial.

Entrada do templo Meiji, onde os visitantes usam estes utensílios para tirarem água e lavarem as mãos antes de entrarem.

Cemitério em Tóquio.

Noiva prepara-se para a sessão de casamento no templo Meiji, um dos mais importantes da cidade. Aos domingos são vários os casais que contraem matrimónio neste templo com toda a tradição e rigor ancestral japonês.

Do 52º andar do Hotel Park Hyatt a vista é assombrosa. Foi neste hotel - um dos mais luxuosos da cidade – que parte da acção do filme “Lost in Translation”, de Sofia Coppola, foi filmada. É usado com frequência para local de entrevistas com as estrelas de Hollywood aquando do lançamento de novas películas no Japão

Os hotéis cápsula são a solução mais económica para dormir em Tóquio, por cerca de 20/30€ por noite. É também uma alternativa para os frequentadores da noite de Tóquio que assim não têm de voltar embriagados para casa. Aqui tudo se compra, a toalha, o champô, a escova de dentes. Há máquinas para tudo…

Em Tóquio tudo se pode adquirir numa máquina. Sistemas self-service a funcionar 24h por dia.

Harajuku é o nome popular para a área ao redor da Estação Harajuku, na Linha Yamanote do bairro de Shibuya. É a outra zona “fashion” e jovem da cidade. Ponto de encontro de adolescentes, é palco, especialmente ao domingo, da mais variada concentração de “looks”, de “lolitas” góticas aos estilos mais surpreendentes.

Em Harajuku, numa praça perto da mesma estação de metro, encontramos o centro dos mais extremos estilos de moda, centro fervilhante da cultura “teen” mais radical.

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

O ponto central da cultura adolescente em Harajuku é Takeshita Dori (Takeshita Street) e as suas ruas laterais, compostas por muitas lojas de moda, lojas de roupas usadas e fast food essencialmente virada para os adolescentes.

Por várias zonas da cidade podem admirar-se os canais

Loja Roberto Cavalli no bairro de Ginza, um dos bairros mais chiques e exclusivos, com todas as marcas de topo presentes e algumas a ocuparem edifícios inteiros. O frenesim de Rolls-Royce e Bentleys à porta das lojas é contínuo.

Outono em Tóquio

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本



Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本

Tokyo Japan 東京日本



05 de Julho de 1951

30 de Maio de 2011

Shinjuku San-chome (Shinjuku-ku)


Comparado a 1951, houve mudanças na forma das pessoas e na concepção dos automóveis. O horizonte está alinhada com edifícios mais altos, eo espaço na direção da estação de Shinjuku tornou-se mais estreita.

22 de Julho de 1952

31 de Maio de 2011

Nihonbashi (Chuo-ku)


Nihonbashi, que é conhecido como o ponto de rede de estradas do Japão de partida. Em 1963, uma via expressa foi construída bem em cima de uma ponte, alterando significativamente a paisagem de Nihonbashi.

03 de Setembro de 1953

May 26, 2011

Estação de Ikebukuro Oriente Sair (Toshima-ku)


Após a reconstrução do pós-guerra, Ikebukuro foi designado como um centro de cidade recentemente emergente em 1958. A saída leste desenvolvido como uma grande estação terminal, centrando-se em Seibu Department Store.

26 de Fevereiro de 1954

28 de Dezembro de 2011

Yurakucho (Chiyoda-ku)


Vista da área embaixo dos trilhos da ferrovia elevados em Yurakucho Station saída Oeste. Um soldado americano pode ser visto se os seus sapatos polidos na calçada. O Nichigeki Theater, que tinha sido elogiado em todo o mundo, foi reconstruída como Yurakucho Mullion em 1984.


01 de Junho de 1955

26 de Maio de 2011

Na frente de Shinjuku Isetan (Shinjuku-ku)


O exterior do Isetan ainda mantém a sua fachada de cerca de 1955. O scooters, veículos e tróleis na rua reflectir os tempos.


20 de Junho de 1955

21 de Junho de 2011

Ginza-dori (Chuo-ku)


Uma área perto da intersecção Ginza Yon-chome. Ginza-dori, que costumava ser forrado com salgueiros balançando ao vento e bondes, passou por uma grande mudança, e apenas a torre do relógio no canto permanece inalterada, assinalando o tempo de inactividade.

November 14, 1956

June 3, 2011

Marunochi (Chiyoda-ku)

January 28, 1957

January 12, 2012

Shirahige Bridge (Sumida-ku)




June 25, 1962

July 26, 2011

Kanda Jimbocho (Chiyoda-ku)




August 27, 1962

May 26, 2011

Ikebukuro Station West Exit (Toshima-ku)

January 29, 1963

December 28, 2011

Sukiyabashi Park (Chuo-ku)

13 de Setembro de 1963

22 de Setembro de 2011

Ogu Parque de Manobras (Arakawa-ku)
Embora a forma das faixas não mudou, os trens a vapor desapareceram devido à electrificação, e os cabos aéreos agora se destacam. A Tokyo Sky Tree pode ser visto longe.23 de Outubro de 1963
Estação de Shinjuku saída Oeste (Shinjuku-ku)
Mesmo na saída Shinjuku West Station, que é marcado por paredes das Odakyu e de Keio edifícios da estação de hoje, que costumava ser possível ver a paisagem da Saída Leste e trens funcionando

13 de Julho de 2011


Akabane Saída Leste (Kita-ku)
O edifício em frente da estação de aberto, em 1990, após o que se tornou impossível ver a plataforma elevada e comboios. O terminal de ônibus ainda parece o mesmo que fez originalmente.
27 de Abril de 1964

07 de Julho de 2011
Yanagibashi Bairro (Taito-ku)
Desde um aterro foi construído, o número de salgueiros e pousadas para marinheiros diminuiu, e tornou-se impossível ver uma paisagem refinado. Barcos tornaram-se maiores e são amarradas de uma forma que pareça que eles estão enchendo completamente rio Kanda.


12 de Maio de 1965

31 de Maio de 2011

Estação Shinbashi saída Oeste (Minato-ku)

Com base no desenvolvimento urbano e melhoria, lojas e escritórios que estavam ao redor da estação tornou-se inquilinos do edifício em frente à estação. Em SL Plaza, o espaço aberto familiar na frente da estação, costumava haver um palco e uma televisão de rua.
13 de Dezembro de 1974

02 de Agosto de 2012

Dogenzaka-Shita (Shibuya-ku)
"109", que tornou-se o pioneiro de edifícios de moda, nasceu em 1974. O fluxo de pessoas, que tinham centrado em Koen-dori, alterado.
23 de Julho de 1970

26 de Fevereiro de 2008

Restos do Yodobashi Purificação Planta (Shinjuku-ku)  Fotografia aérea

O arranha-céu que foi construído sobre as ruínas do Yodobashi planta da purificação foi o Keio Plaza Hotel. A Tokyo Metropolitan Government Building foi concluída em 1991, ea área se transformou em um cluster de arranha-céus, tornando-se o subcenter Shinjuku
09 de Fevereiro de 2012

Museu da Ciência Marítima (Shinagawa-ku) 

fotografia aérea

O Museu da Ciência Marítima foi concluída em 1974. Hoje, a ponte do arco-íris pode ser visto no fundo, eo museu acrescenta cor ao distrito Daiba / Ome.
08 de Outubro de 1979

30 de Maio de 2011


Kasai Rinkai Park (Koto-ku)  Fotografia aérea
Construção em Kasai Rinkai Parque tinha apenas começado em 1979. O aumento da quantidade de vegetação e narcissuses florescer na primavera servir como uma tomada de terapêutica para as pessoas que visitam este parque.
27 de Fevereiro de 1981

17 de Março de 2010

Área em torno de Yurakucho (Chiyoda-ku) 

Fotografia aérea

No local de Yurakucho Mullion, não costumava ficar o Teatro Nichigeki e Asahi Shimbun.Hoje, a Tokyo International Forum em forma de barco fica no local dos restos do antigo Prédio do Governo Metropolitano.
03 de Março de 1982

09 de Fevereiro de 2012

Shiodome (Minato-ku)  Fotografia aérea

Arranha-céus foram construídos sobre as ruínas da Estação de Carga Shiodome (anteriormente Shinbashi Railroad Depot), escondendo a maior parte dos Jardins Hamarikyu. A ponte do arco-íris tornou-se também um acréscimo ao cenário de fundo.
22 de Março de 1984

17 de Março de 2010

Área em torno da estação de Tóquio (Chiyoda-ku)  Fotografia aérea
A área em constante mudança ao redor de Estação de Tóquio. Reabilitação de edifícios tem progredido, como com o Shin Marunochi Edifício no Marunochi Exit e Grande Tokyo na saída Yaesu. O edifício da estação de tijolos vermelhos no Marunochi Exit está actualmente em reconstrução.
05 de Janeiro de 1989

17 de Março de 2010

Tsukudajima (Chuo-ku)  Fotografia aérea
Alinhado com arranha-céus, Tsukudajima agora se assemelha a ilha de Manhattan. Em 1989, havia apenas um arranha-céu. Depois, com a conclusão da Ponte Chuo-Ohashi, Tsuda e Arakawa tornou-se conectado.
17 de Fevereiro de 1992

09 de Fevereiro de 2012

Rainbow Bridge (Minato-ku)  Fotografia aérea
Em 1993, a ponte do arco-íris 798m que liga o centro da cidade com o novo subcenter Tóquio beira-mar foi aberto. No fundo, a Tokyo Sky Tree, que possui uma altura de 634m, pode ser visto.
17 de Fevereiro de 1992

09 de Fevereiro de 2012

Daiba (Minato-ku)  Fotografia aérea

O distrito Daiba em 1992, quando não havia nada. Depois, hotéis, estações de televisão e instalações de diversões foram construídos, mudando o cenário drasticamente.
23 de Fevereiro de 1999

17 de Março de 2010

Minami-Senju (Arakawa-ku)  Fotografia aérea
Após a conclusão dos projectos de reabilitação urbana, o distrito Shirahige-nishi renasceu em uma nova cidade. Esta área, que é cercada pelo rio Sumida em forma de S, usado para consistir de uma densa concentração de estruturas de madeira.

Imagens e textos (tradução automática), colhidos da internet

Sem comentários:

Publicar um comentário