Porto e a geminação com Nagasaki

Japoneses criam um assento que reconhece o bumbum do dono

Que os japoneses são excêntricos, isso ninguém pode negar! Inventam cada coisa… O que achar de um dispositivo que é colocado no assento e que tem como função reconhecer o bumbum do condutor do carro? Pois é… trata-se de um dispositivo anti roubo que possui mais de 360 sensores que escaneiam as nádegas do dono.

Com essas informações, é criado um perfil e se caso alguém sem ser o dono, se sentar no banco do motorista… Aiaiai… o alarme toca e denunciará o “possível” roubo. Afinal, além de ladrões, o alarme pode soar até para algum parente ou conhecido desavisado que se sentar no assento, causando até um possível constrangimento.

De acordo com seus criadores, o sistema foi capaz de identificar os motoristas com 98% de precisão durante os testes, ou seja, parece que funciona mesmo a pressão dos glúteos sobre o assento. Cada sensor envia as informações para um laptop, que agrega as informações para mostrar os dados-chave como o maior valor de pressão, área de contacto sobre o assento, entre outros factores.

A empresa que criou o dispositivo anti roubo, o AIIT (Instituto Avançado de Tecnologia Industrial), de Tóquio, diz que o dispositivo estará à venda somente daqui 2 a 3 anos e disseram que o dispositivo pode ser adaptado à outras situações como em cadeiras de escritório, onde os funcionários terão os seus rabos escaneados e somente após a identificação, poderão fazer o login em seus computadores.

A identificação através dos digitais ou da íris é ultrapassado. A onda agora é o reconhecimento!

Chapa com 360 sensores é colocada no assento do veículo

Uma equipe de cientistas do Instituto Avançado de Tecnologia do Japão criou uma chapa com dispositivos de pressão que, colocada no assento do carro, permite reconhecer o bumbum do dono.

A chapa, criada com supervisão do professor associado do instituto Shigeomi Koshimizu, tem 360 sensores de pressão que, segundo ele, conseguem identificar com precisão o perfil das nádegas de um indivíduo.

Ainda segundo Koshimizu, a tecnologia pode ser uma segurança a mais para o carro.

Imagens e textos (tradução automática), colhidos da internet

Sem comentários:

Publicar um comentário