Porto e a geminação com Nagasaki

Kimono

O Kimono, (em japonês 着物, literalmente "algo que uma pessoa veste"), são as peças de vestuário tradicionais do Japão. Originalmente a palavra referia-se para todos os tipos de vestuário, mas acabou por ficar associada apenas às vestes longas que ainda são usadas por homens, mulheres e crianças.








A palavra traduzida é “coisa para usar”, ou seja, “roupa”. Chamamos  quimono desde o século XVI, quando os navegantes ocidentais chegaram ao Japão e, ainda com uma comunicação precária, apontavam para as roupas dos japoneses e perguntavam o que era aquilo, e simplesmente respondiam “coisa para usar”!


Aquela peça tradicional, longa, usada por todos os japoneses, jovens ou idosos, homens ou mulheres e sem distinção sociel  chama kosode, enquanto a curta, que é solta, e que usamos no ocidente é hao-seri. Mas atenção que o sushimen usa um que tem a manga mais ajustada, e esse chama-se éhappi. Ah, e tanto faz escrever quimono ou kimono.


Surgiu no século VII, no período Nara. Anteriormente eram usadas túnicas ou conjuntos parecidos com as dos chineses. Mas o traje só ficou da forma como estamos habituados a ver no século 16. Foi a partir da Segunda Guerra Mundial que o quimono fez mais sucesso no ocidente, graças aos soldados americanos que lutaram no Japão e trouxeram os trajes para  as esposas e namoradas.






Foi também nessa época que os japoneses começaram a usar roupas ocidentais, passando o quimono a ser usado somente em grandes cerimónias e outras ocasiões especiais. O quimono apesar de ser muito lindo não é nada prático de vestir – há escola de quimono! Também existe uma gama muito variada de cores e estampas, as mangas mudam de acordo com o sexo, idade e entre mulheres solteiras ou casadas. O obi(aquele cinto) muda a posição do nó conforme o nível social de quem o usa, sendo que o de uma gueixa é atrás e o de prostitutas é na frente. 

















Imagens e textos (tradução automática), colhidos da internet

Sem comentários:

Publicar um comentário